terça-feira, 15 de setembro de 2009

romântica

Sim, eu sou. Além da conta, talvez.
Mas não vamos reduzir o romantismo à banalidade a que estamos habituados. Meu romantismo é amplo: é minha visão de mundo que é romântica. Acredito no poder criador do homem, na sua bondade, na pequenez delicada de seus gestos, no idealismo que ainda deve guiar suas ações. Na sua escuta, no seu interesse pelo outro, além de si mesmo. Estou convencida de que há magia por aí, e não precisa procurar muito.
Olho pro homem da minha vida e sei que ele é o homem da minha vida - só quem já sentiu isso sabe que é possível. E nossas almas se encontram num dia chuvoso e desajeitado, atravessando a rua, com aquelas luzinhas dos carros, dos faróis e dos olhos brilhando no asfalto molhado. E a música da cidade toca: ruído incessante da pressa. E tudo é sincrônico. Frio, livro, casaco, chocolate, abraço. Um após o outro, passos. E nossos corações pulsam ao ritmo dessa música.
É que tá tudo aí pra ser criado.
Sonhado.
Realizado.

Um comentário:

Gunnar Vargas disse...

1ª parte - adoro sua visão, preciso me alimentar mais dela... no fundo, acho que é isso mesmo

2ª parte - que bonito!