terça-feira, 3 de março de 2009

vontade de voar

Nesses dias, me faltou o diálogo diário com os anônimos. Escrevi no meu caderninho, é claro, mas não é mais a mesma sensação depois que virei blogueira. Ainda por cima, hoje descobri que um vírus no meu email deletou todos os meus contatos mais queridos, que há anos cuidadosamente cultivava. Passei o dia chateada pensando nisso. Puxa! Como ficou difícil para a minha geração abrir mão dessa maravilhosamente maldita tecnologia... Confiamos tanto nela, mas puft! Em um estalar de dedos, eu não tenho mais o email do Juba, da Kumika, da Judy, da Pal, da Didem, do Raul, do Jojo... (não, eles não estão no facebook!). Perdi o contato com meu maninho Juba, não sei o email dele de cor e ele nunca me escreve, portanto... ai meu Deus, será que nunca mais vou falar com o Juba?! Uma espécie de sensação de pânico me tomou. Mas nada é por acaso, paciência. Se for pra eu falar com o Juba de novo -ou com qualquer outra pessoa dessas que eu "perdi" - posso encontrá-lo aqui na esquina de casa daqui a uns dias, mês que vem ou daqui a 20 anos, mesmo que ele more do outro lado do mundo.
Antes dessa pequena descoberta que acizentou minha segunda-feira, contudo, tive dias de calmo descanso. Muitos pensamentos pontuais sobre solidão e sobre o peso que atribuímos aos outros para nos livrarmos da nossa própria solidão. Reflexões sobre o quão relativa a profundidade pode ser. Foram dias de cuidado comigo, de pequenas revisões e promessas pra mim mesma. Dias de algum sol, alguma chuva. Dias de comer bem - o melhor (e o único) nhoque de banana da terra que eu comi na vida - acompanhado de sobremesa. Tudo bem equilibrado.
E, novamente, uma forte vontade de voar pra outro canto, onde as prioridades sejam outras, onde o tempo atrase o relógio e o sentido das coisas esteja noutro plano. Onde a natureza salva até do tédio e de todo o resto que possa parecer mau.
Preciso começar, lentamente, a preparar a retirada.

2 comentários:

Juli disse...

sugestões de lugares para onde voar:
www.umbrais.blogspot.com
explicações mais profundas
a qualquer momento, mesmo que
você não tenha meu e-mail...
a gente dá um jeito.
beijo

Diana Assennato Botello disse...

Não se retire para muito longe. E se for voar... não me mande um email, mas um POSTAL.
Daqueles que a gente segura, aperta contra o peito e suspira... "ai, que saudade".
Essa materialidade é insubstituível, e os encontros nas esquinas muito mais saborosos do que um box do msn a perguntar "adicionar esta pessoa ou bloqueá-la para sempre?", hahaha... adoro a subversividade da tecnologia.