domingo, 15 de fevereiro de 2009

o café

Estou com medo do meu coração secar. Tanta dor que não cabe mais em nenhum poro do meu corpo. Estou com medo de virar uma colecionadora de lágrimas, elas não param de cair.

Acho que ontem foi o dia mais triste da minha vida.

Um café amargo, uma água com gás. Um docinho para não perder o hábito. Assunto foi coisa que nunca nos faltou, e assim continua. Conversas de nunca terminar, conversas de se entreter a ponto de esquecer do resto, de qualquer resto, dos outros, das outras, da vida que continuou nos últimos quatro meses. Alguns silêncios entrepostos, breves espaços para a melancolia. "Sinto sua falta. Queria te falar que, apesar de todas as nossas loucuras, a gente era um casal do caralho".
Olhos mareados, antebraços sobre a mesa alcançando mãos conhecidas, nó na garganta, choro contido.
Silêncio.
Abraço de despedida. "Você foi uma mulher muito importante na minha vida, tenha certeza disso". Pretérito perfeito.

Chorei muito a caminho da casa da Tani, balbuciando em voz alta comigo mesma para me acalmar - vai passar, vai passar... Fiz bolinhos de arroz com ela, arranquei sorrisos do Oto dançando com a galinha. Fui ao teatro com o Augusto, tomei sopa no La Barca e me aconcheguei nos braços de um anjo. Apesar da vontade de morrer, olhos inchados denunciando minha dor, é injusto desejar isso. Porque a vida continua e é maravilhosa. Presente do indicativo.

5 comentários:

Lessandri disse...

Seu texto é muito bonito, sincero simples e característico...não a conheço, mas obrigada por partilhar um pouco da beleza das suas emoções.

Nonô disse...

Beta, querida, demorei pra entrar aqui pois não lembrava a palavra "prosadora". Por fim entrei e estou lendo tuas prosas.
E depois de tantas palavras, tô até sem palavras. Acho que se eu disser "lindo!" não bastaria pra transmitir o que sinto ao lê-las.

Desconectada disse...

Oi Beta,
Seu coração não seca. Você é mulher de amar demais e por toda a vida.
Esse post é linfo. Mas fiquei triste com ele. Mesmo. Na verdade fiquei triste em saber que vc ainda chora por ele. Acabou há 4 meses e você ainda tem lágrimas para ele? Será que ele realmente merece esse lamento contínuo, essa dor que nunca cessa, essas lágrimas recorrentes? Desconfio que não. Ele te liga? dá atenção? colo? conversa? se esforça para baixar a guarda?
Vc vai ficar brava comigo, mas preciso dizer: um post assim me fez ter pena de você. É esse sentimento que você realmente quer despertar? Blagh! Não, claro, que não. Não faz seu estilo. Você é linda, bacana, inteligente, divertida. Então, chega de saudade, Gatona!
Como já cantou, sabiamente, os hiper-mega-bregas Leandro e Leonardo: "Chore por mim, não liga pra ele..."
Beijos
pati

domingo disse...

nosso coração não seca, transborda. ainda bem.

Juli disse...

ô se vai passar...
futuro do pretérito.