quarta-feira, 18 de agosto de 2010

recortes

Não sei bem se este é o melhor momento de arrumar coisas, mas eu gosto de exorcizar logo: jogar fora o que tem que jogar (quase tudo) e guardar pequenos detalhes que me causem sorrisos instantâneos. Tava segurando um choro doído que não precisa ser segurado, muito menos guardado, e agora deixei tudo aflorar pra passar logo essa angustia que não tem razão de ser. Ao abrir a caixa enorme recheada de papéis, cadernos, fotos, lembranças, pincei algumas coisas que resolvi registrar aqui pra desempoeirar bons momentos no futuro.

Lá vai:

"A soma das partes é maior do que o todo. Os novos compromissos devem ser assumidos em prol do todo", Carlos Lopes, capacitação em Redes Sociais em 2007.


por Lourdes Alves, maravilhosa em 2007, 2008, 2009, 2010 (...), repartindo seus conhecimentos e dizendo sempre a coisa certa na hora certa.

"A capacidade de desenvolvimento de uma comunidade depende de seu 'estoque de futuro', do número de seus sonhos. O desenvolvimento é um movimento em direção a aquilo que não existe, mas pode existir se o prevermos", Augusto de Franco, capacitação em Desenvolvimento Local.

"Quando digo 'redes', são redes de pessoas. Por mais importante que uma institução seja, ela não fala, não sente, não tem dúvidas. Ela é formada por pessoas", Augusto de Franco, Fórum de Desenvolvimento Local 2008.

"A caricatura é um recurso do discurso explicativo", idem.

"O Massive Change não é sobre o mundo do design, mas sobre o design do mundo. Como o design que inventamos produz a cultura em que vivemos?", Bruce Mau, no Seminário Economia Criativa em 2009.

"Diversidade Cultural não é diferença. É o que a gente faz com as nossas diferenças. Precisamos criar um pertencimento e um compromisso das pessoas com a cultura", professor José Marcio Barros, em 2009.

"Eu que nada mais amo do que a insatisfação com o que se pode mudar, nada mais detesto do que a insatisfação com o que não pode ser mudado", frase do Brecht, trazida pelo querido Augusto, que agora deve estar se perdendo em algum canto delicioso da Europa.

2 comentários:

Heveraldo Galvão disse...

Ótimos fragmentos. Vou acrescentar mais alguns:
Lourdes disse: Para pensar um Programa de Desenvolvimento Local é necessário mudar as escalas para regional, nacional e internacional, agindo localmente, mas pensando globalmente.
Jorge disse: Para ocorrer o desenvolvimento local é necessário um exercício coletivo de idéias, estabelecendo eixos norteadores, escolhas de vocações, uma agenda prioritária e um pacto local, com compromisso, responsabilidade e publicidade.
Maria José Barbour disse: O desenvolvimento local só é possível com muito sonho e paixão.
É isso. Abraços e paz.

beta disse...

Sonho e paixão, querido! É isso a base de tudo.
beijo grande e obrigada pela visita!!