domingo, 9 de maio de 2010

como?

É que eu já escrevi tanto sobre isso que nem sei mais como fazer, que palavras usar, como inovar na abordagem. Não quero parecer queixosa sem motivo, rebelde sem causa. Pelo contrário, tenho uma causa enorme: o amor. Eu ainda acredito no amor. Hoje afirmei que você arrancou minha ingenuidade, mas me enganei. Continuo sendo uma sonhadora, idealista e romântica. Não obstante tudo o que me aconteceu, o que tem acontecido e o que eu vejo acontecer aos outros, eu ainda acredito que as pessoas (me incluo nessa categoria) possam se encontrar e ser realmente felizes por muito tempo - quiçá "para sempre". Mas não entendo porquê a vida insiste em querer me convencer do contrário. Juro que tenho tentado olhar para frente e sentir manifesto no mundo o amor que levo (literalmente) no peito. Mas não suporto mais desencontros, abandonos, falta de consideração. Fugas, desculpas. Eu sou uma pessoa legal, não mereço isso. Eu não faço isso com os outros. Então eu fico me perguntando como. Como manter a crença no amor? Como continuar acreditando nos encontros, na coragem de encarar? Como fechar os olhos e continuar vislumbrando um dia de sol e o seu rosto tão bonito se aconchegando no meu peito?

Como?

Hoje eu tô triste e não consigo encontrar respostas.

3 comentários:

paulabrandino disse...

a vida insiste no contrário pra testar nossa resistência...
não se abale com o como. essa fé não cessará.

Beta disse...

é isso aí, minha flor. Pé na tábua!

João disse...

Que lindo.